Ferramentas que aperfeiçoam os ajustes em uma Oficina





As palavras de Airton Souza
para um grupo de poetas.

Ao me reportar na primeira pessoa, faço minhas as palavras de todos os que participaram da “Oficina Escrita Criativa” ministrada pelo poeta marabaense Airton Souza na 22° Feira Pan-Amazônica do Livro, dia 8 deste mês. Posso afirmar com veemência que o grande proveito obtido pelos participantes, leva-se em consideração à simplicidade com que Airton transmitiu o conteúdo daquele evento que teve como temática a poesia e todas as suas nuances, razão que nos fez aprimorar ainda mais os nossos conhecimentos.

De Capanema, participaram: Eu, signatário deste Blog, na qualidade de poeta representando o município de Capanema-Pará, junto com o poetamigo Samuel Alencar, presidente da ACLA. É claro que aprendemos técnicas diferenciadas e assimilamos o que foi apresentado pelo ministrante que destinou muitas dinâmicas para a descontração da turma, formada por estudantes dos cursos de letras e pedagogia, além de alguns poetas que moram em Belém.
Estou convicto de que tudo o que vem para somar com o meu aprendizado, procuro abraçar as causas, porque o poeta tem o potencial de ser curioso, ousado e criativo, fazendo com que a temática da oficina sirva de ferramentas inerentes ao que fora programado.

Aqui estou com Samuel Alencar
e Airton Souza, conversando sobre a
Oficina.
Tanto eu, quando o Samuel, avaliamos o encontro e chegamos à conclusão de que é necessária a intervenção dos instrumentalistas gerenciadores da Cultura Literária para que outras oficinas sejam realizadas de forma regionalizada, dando oportunidades por exemplo, aos artistas que residem no Interior do Estado. Espero que essas realizações não sejam feitas apenas durante a Feira Pan-Amazônica, evento sazonal coordenado pelo Governo do Estado. Se por ventura esta minha escrita for lida por alguma autoridade cultural, faço saber: tudo o que aqui relato quero que sirva de condimento para melhor temperar a literatura e sacudir os meios culturais, tendo como parâmetro as muitas produções de artistas das letras que estão com seus projetos engavetados. É preciso que os entes governamentais que representam o Poder Público, abracem a Cultura Literária com mais força, pois a leitura é um dos principais instrumentos que condicionam o cidadão a aprimorar sua intelectualidade.

O caro poetamigo Airton Souza mostrou em sua ministração, qualidade literária capaz de reforçar os conhecimentos de seus pares, obtendo a unanimidade na aceitação por parte de quem presenciou as suas palavras criativas que foram intercaladas às dinâmicas, tendo cada poeta produzido um ou mais textos, mesmo improvisados. O Samuel saiu da oficina deveras eufórico e eu corroboro com ele, uma vez mais, repito: Quanto mais nós aprendermos, seguramente vamos ter condições de produzir com qualidade diferenciada.

Trocas de ideias e conhecimentos sobre a poesia.

Sinto-me, muito feliz quando participo de eventos que destacam a literatura e estarei esperando reações dos que são gestores, para que deem às mãos aos artistas que não se cansam de produzir e expandir a cultura de um modo geral.




Edição e digitação: Maikon Douglas
Texto: Paulo Vasconcellos
Fotos: Divulgação no Facebook de Dalva Vasconcellos

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA