Jornal publica entrevista que me destaca como artista das letras

**Como é bom fazer aquilo que gostamos e no fechamento do ano de 2017, o balanço de minhas atividades literárias foi positivo e por conseguinte, o Jornal de Capanema me entrevistou e aqui, mensuro meu grau de satisfação, e então publico a íntegra da entrevista. 

Um Poeta laureado que não se cansa de poetar


Fazendo um balanço de sua carreira literária, o poeta e escritor, o capanemense Paulo Vasconcellos, conversou com os repórteres/colaboradores do JC: Roberto Lisboa e Dinho Aguiar, sobre as tantas conquistas que ele obteve no ano de 2017, testemunhadas por seu público que festeja junto com ele os tantos títulos referenciados, como por exemplo: as publicações de poesias nas antologias editadas pela Câmara Brasileira de Jovens Escritores/CBJE, razão de apontamentos nos anais da entidade, rendendo-lhe condição emérita e também inserção de seu nome na galaria de grandes poetas brasileiros.
Desde o início do ano passado, PV, como é mais conhecido, tem se destacado nas literatura, participando de vários eventos do gênero, concorrendo a prêmios em âmbitos: Nacional e Internacional, como aconteceu em dezembro do ano passado, quando ao lado da poetisa Conceição Maciel, ele teve sua poesia “Velas ao Vento” publicada na coletânea do Consulado de Isla Negra/Chile-Poetas del Mundo, no livro “Mil Almas, Mil Obras”, trabalho poético que já está circulando nas escolas, em centros culturais, nas bibliotecas e nas embaixadas dos países que tiveram seus participantes. Para ilustrar melhor esta citação, notabiliza-se também o trabalho poético de Conceição Maciel que foi publicado na mesma obra, com o título: “Meu Aconchego.
Sobre todas essas andanças de PV pela literatura, ele não se cansa de escrever a participar de certames, pois no dia 31 deste mês, estará ladeado de integrantes da confraria de Capanema, na reunião Solene da Academia Paraense de Letras/APL, recebendo premiação por ter sido um dos vencedores do Concurso de Poesias “Cidade de Belém”, junto com o seu poetamigo Samuel Alencar.
Para que o leitor saiba um pouco mais do que esse artista das letras tem somado como poeta e escritor, aqui estão algumas perguntas feitas a ele, destacando suas perspectivas para o ano de 2018, pois além do trabalho individual, PV também participa de atividades coordenadas pela Academia Capanemense de Letras e Artes/ACLA.
Jornal de Capanema – Como você arruma tanto argumento para distribuir os versos que se transformam em poesias?

Paulo Vasconcellos – É que aproveito o tempo livre para pensar e transformar esses pensamentos em textos poéticos, tornando-se passatempo em afinidade com a literatura. Depois de rascunhados os textos, faço a revisão com minha assessoria, para então publica-los nos meios que tenho ao meu dispor, nos casos: blog, facebook, CBJE e no site do Recanto das letras, onde hospedo uma página.
JC – Suas inspirações estão sempre afloradas ou você encontra dificuldades para concluir as poesias?

PV – Tem ocasião que a inspiração vai embora, mas depois de relaxar, volto a me situar no tema e aí, sai alguma coisa. Quando não dá, desisto naquele momento e aguardo a inspiração voltar. É sempre assim!

JC – Qual a sensação de você ter muitas obras publicadas?

PV – Depois que lancei o livro ‘Poetando’, senti a necessidade de expandir meu trabalho poético e foi quando descobri a CBJE e o Recanto das Letras, ambientes que me acolheram e já faz, mais ou menos, 5 anos que tenho minhas produções publicadas por lá. Com o passar do tempo, aumentei não só a produção, como também busquei outros espaços, até chegar no âmbito Internacional, sempre colocando o nome de Capanema em evidência.

JC – Quais seus próximos passos a serem dados?

PV – Tudo depende da vontade de Deus, entretanto, semear é minha principal missão e espero participar de concursos e/ou projetos que oportunizem condições de mostrar meu trabalho de forma expansiva, pois é assim que fazem os artistas, e como sou um deles, trabalharei para ter atividades contínuas por todo este ano.

JC – E o fato de seu nome estar inserido na galeria dos poetas premiados pela Academia Paraense de Letras?

PV – São 5 edições do Concurso de Poesias ‘Cidade de Belém’ e os meus trabalhos foram premiados em 4 delas, razão de muita honra para mim, pois sou um dos tantos representantes do interior do Estado, participando dos certames com os concorrentes da capital.

JC - Agora, Capanema tem 5 poetas nessa galeria. O que você tem a dizer sobre tão importante façanha?

PV – Trata-se de um grupo de poetas que se juntou para participar do certame, todos com fé nas conquistas e o resultado deu a Capanema a maior parcela de vencedores. Ressalto a inclusão do poetamigo Samuel Alencar, bem como das poetamigas: Elza Melo, Ioneida Braga, e Lúcia Aquino, que têm significativas inclusões de seus nomes na galeria dos vencedores. Estou feliz por eles terem conseguido as vitórias e festejamos com todos os capanemenses, esse reboliço que a poesia tem causado, porque poetar é nosso lema e trabalhar a poesia tornou-se tema de uma confraria que é unida e nunca desiste de atingir o ápice de seus ideais.

JC – Todo feito tem seu agradecimento e acreditamos que você, como um arrebatador de conquistas, queira fazer menções a quem de direito. A quem, por exemplo?

PV – Meus caros Roberto e Dinho: O espaço foi disponibilizado para eu agradecer, mas esses agradecimentos somariam muitas linhas, todavia, Deus é a quem devo a maior gratidão. Como o incentivo que recebo dos meus familiares, principalmente de minha mãe Josefa e de minha esposa Dalva, elas ganham a dianteira dos agradecimentos, passando depois para o meu público (que é muito grande), além dos meus pares da ACLA e assim por diante. Bem que eu alertei vocês (Roberto e Dinho), que poderia me alongar nos agradecimentos, mas referencio todos os que gostam do meu trabalho e torcem pela continuidade dos meus feitos e das minhas conquistas.

Edição e Digitação: Roberto Lisboa
Reportagem: Dinho Aguiar
Foto: Dalva Vasconcellos

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA