De Verso em Prosa - Vamos Poetar

Cavidade em depressão



Quão forte é o vento
Que rastreia todos os pontos
Na rapidez de um raio de luz
Visto de perto e de longe
Admirado de longe e de perto
Cristalizado a olhos nus
Um clarão que se agiganta
Nostálgica paisagem dos grotões
Existentes numa gruta distante
Infusão que cintila a ampulheta
Corpo esguio e admirável
Forma talhada no capricho
Acordes para o dançar da silhueta
Enrosco até sem embaraço
Linhas em direção ao infinito
Mescla branca na cabeleira encaracolada
Uma viagem corporal
Encurtada por divagante linguajar
Flagelo antes combatido
Improváveis e repugnantes migalhas
Corda que contorna a roldana
Ideal manuseio ao compasso
Ideias que se aglomeram
Calor intenso e causticante

Temperatura propícia para um abraço. (PV)

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA