De Verso em Prosa - Vamos Poetar

**A sensibilidade do poeta se estende através de suas manifestações e a poetamiga Benigna Samselski, passeando por Santarém, deparou-se com um fenômeno da natureza e declarou-se através de cordel enamorado. Reproduzo o que ela escreveu...

Foto: Divulgação no google



Tapajós enamorado pelas águas do Amazonas

Por ser tão lindo
Não podia ver-te só...
Nuvens no céu se abrindo
Como um véu de filó
Amigos bem íntimos sorrindo
E o canto de um rouxinol.

Recém-chegada à cidade
Fascina-me e me faz bem
Causa-me felicidade
Esta vinda a Santarém
Desfazendo a ansiedade
Da saída de Belém.

Ainda não descansada
Até ver Alter do Chão
A garotada animada
David é o anfitrião
Até agora encantada
Aguenta coração!

Sentindo toda a magia
Deste lugar encantado
No coração a alegria
Um grito, um verso calado
De meus poros a poesia
Saindo por todo lado.

Por um instante uma zona
Nunca se fica a sós
Todos me chamam de dona
Às margens desses lençóis
Ao ver o Rio Amazonas
No encontro do Tapajós.

Como não se alegrar,
No céu eu vejo as cores
Tapajós, sol e luar.
Cheiros de águas e flores
Ai que vontade de amar...
Ai que lembranças de amores...

Pra ti outros versos faria
Te comporia apaixonado
Águas te casaria
Com outro rio encantado
Amazonas poesia
Tapajós enamorado!

Benígna Samselski




Comentários

MENSAGEM DA SEMANA