Feiras de Livros: Convenções formadas por intelectuais

































É a poesia jorrando por todos os cantos formandos grotões de águas cristalinas e fertilizadas por versos substanciais capazes de formar conjunções poéticas em todos os sentidos. É a poesia minando em uma rocha protegida por conotações de prosas que se agrupam aos versos até incrementarem a conclusão de um enredo fortalecido pela imaginação do poeta.
É o intercâmbio que conjuga as autorias dos intelectuais, todos sensíveis a uma porção literária que lhes domina, causando reboliço incessante que se transforma em frenesi. Tudo feito a capricho traduz o sensível e o coloca na plataforma cultural que se condiciona a todos os vértices que se sobressaem diante de ações gramaticais plausíveis e irretocáveis.
Participar de um evento do gênero literário como a Feira Pan-Amazônica do Livro, em Belém é apontar para o futuro em busca do infinito, no entanto, não se trata de tarefa fácil, todavia, envidar esforços torna-se bastante salutar, pois toda e qualquer tentativa para se encontrar o ponto culminante é válida.
Sou um literato e valorizo tudo o que faço, além de valorizar também, meus pares, transmitindo a eles muitos incentivos, fator que tem funcionado gradativamente. Sinto-me honrado em poder contribuir com a literatura capanemense, por exemplo, segmento que tem crescido bastante e ainda vai crescer muito mais. Por essa razão, precisamos continuar participando de encontros que fortalecem a literatura, pois dar suporte à poesia significa semear com zelo.
Considerando que a poesia está para a literatura como o alimento é imprescindível para os seres vivos se manterem muito mais vivos, particularizam-se a simetria com a sinergia, palavras que podem ser rimadas em qualquer poesia, firmando diretrizes congruentes e capazes de alinhavar escritos feitos a capricho.
No mais, festejar os avanços que a literatura capanemense tem dado referenda poetas e escritores para atingirem patamares moldurados por arranjos influenciados pelos dons autorais.

Viva a Literatura e que todos os literatos continuem sendo benfeitores da Cultura, seja qual for sua vertente!!! (PV)

*as fotos publicadas neste artigo representam a participação dos literatos de Capanema que foram à Feira, expor seus trabalhos e também levar a bandeira do município junto com o estandarte da Academia Capanemense de Letras e Artes-ACLA.

**O autor é escritor e poeta, integrante da Academia Capanemense de Letras e Artes-ACLA e da Literária Acadêmie Lima Barreto-LALB/RJ, também articulista do Jornal de Capanema.

Edição e digitação: Dinho Aguiar
Texto: Paulo Vasconcellos
Fotos: Divulgação no Facebook da poetisa Elza Melo/ACLA

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA