Corpus Christi em Capanema: A arte de um povo atravessou o tempo





Corpus Christi 2017: A arte de um povo atravessou o tempo
A semente foi plantada e frutificou, formando um canteiro capaz de arborizar a comunidade através da fé motivada por muitas vozes que cantam ao celebrarem 41 anos de um evento que passou a fazer parte da plataforma de realizações da cidade de Capanema em seus 107 anos de existência administrativa.
Passado todo esse tempo, eis que novamente a ornamentação de uns trechos de ruas chama a atenção do mundo inteiro, através das publicações nos meios de comunicação e também nas redes sociais. Os olhares dessa gente estão voltados para os desenhos retocados de detalhes em cores múltiplas, entretanto, a religiosidade do povo de Capanema é um dos marcos históricos da procissão, cujos pés dos caminheiros desmancham a obra de arte construída durante uma noite de trabalho. A paróquia de Capanema, por sua vez, se encarrega de dar conotação a Corpus Christi, incentivando os paroquianos a acompanharem o Santíssimo Sacramento como prova maior da Eucaristia, fato contínuo na festa considerada como uma das maiores do gênero na região.
Os retoques nos desenhos e nas colocações das cores, tudo a capricho vai se conotando, tendo as turmas formadas em sua maioria por jovens, divididas em trechos, para quando se aproximar o amanhecer e os sinos da matriz começarem a badalar, está anunciado o início da caminhada de Fé que reúne não somente os moradores de Capanema, como também os visitantes, atraídos pela magnitude que representa Corpus Christi de Capanema.
Lentes de várias resoluções registram cada ponto do que está sendo decorado e depois numa visão panorâmica dos desenhos, referencia-se a arte tirada das mãos de quem se dedicou algum tempo para contemplar os olhos daqueles que presencialmente estão admirados com a raridade da beleza do então “tapete” estendido nas ruas por onde passará o Corpo de Cristo sacramentado.
Nem mesmo o mais rigoroso avaliador há de encontrar algo que não condiga com a realidade do que foi descrito através das gravuras, pois sempre que são destinadas menções elogiosas sobre a ornamentação, a palavra perfeição é dita por muitos. Nas redes sociais por exemplo, a professora Eleci Silva, fez o seguinte comentário: “Um espetáculo onde a solidariedade e o trabalho coletivo dão as mãos à fé para transformar em arte as ruas de Capanema”.
Transcorria o ano de 2006, quando foi produzido um documentário para comemorar 30 anos de Corpus Christi, sendo ouvidas algumas personalidades que declaravam afinidade com o evento, transformado futuramente em patrimônio cultural. O poeta Stélio Vasconcellos participou do documentário, relembrando o tempo que ainda enxergava (ele é deficiente visual): “naquela época eu era um jovem de 16 anos e ainda podia enxergar, eu vi o começo de uma das mais belas manifestações de fé e arte do povo católico da minha cidade, a festa do Corpo de Deus. Agora, já não posso mais enxergar mas tenho na memória as imagens, as cores na obra de Fé e arte do povo que utiliza as ruas com enormes telas onde são desenhadas as mais belas figuras que mostram o tema da procissão”.
A procissão de Corpus Christi em Capanema, conduz as pessoas a se manifestarem, mesmo aquelas que acompanham a não muito tempo, como é o caso da comunicadora Denise Ramos que quando atuou no jornalismo televisivo, fez reportagens destacando o evento e ao usar as redes sociais também comentou: “Uma das mais lindas manifestações de fé que eu já vi. Parabéns ao povo capanemense por esta linda tradição”.
Somados as particularidades com os detalhes que são corpus Christi e a Eucaristia manifestados nas ruas de Capanema, acumulam-se dividendos quantitativos e qualitativos, porque a mobilização é intensa, regras simples de um referencial que mistura a dedicação de todos os que se dispõem a trabalhar como praticantes do voluntariado.
Texto: Paulo Vasconcellos
Edição: Dyah Sousa
Fotos: Divulgação











Comentários

MENSAGEM DA SEMANA