REDAÇÃO ESQUENTA O PRIMEIRO DIA DA GINCANA LITERÁRIA




Os estudantes da rede estadual de ensino participaram, na manhã desta segunda-feira, 29, de mais uma etapa da Gincana Literária da XXI Feira Pan-Amazônica do livro. Desta vez, do concurso de redação. Dos 15 alunos que participam do concurso fazem antes uma redação na instituoção que representam e um deles é selecionado para o encontro que vai contar ponto e se somar ao desempenho da próxima ação, que ocorre na terça-feira, 30.
Os alunos escolhidos foram Ana Paula Pinheiro, da Escola Dom Pedro II (USE 1); Alison Nunes, da Escola Ulisses Guimarães (USE 5); Micheline Almeida, da Escola Celso Malcher (USE6) e Jamily de Lima Soares, da Escola Alcides Carneiro (USE16).
De acordo com a coordenadora do Sistema Estadual de Biblioteca Escolares da Seduc, Arilene Piedade, a escolha do título da redação é de acordo com o tema da Feira Pan-Amazônica do Livro, que este ano, tem como tema a Poesia, o país homenageado. “A Seduc, junto com a comissão organizadora da Secult, a partir dos títulos sugeridos pelos professores, definem o tema”, explica Arilene. Este ano, o tema escolhido foi “A poesia como expressão no cotidiano”.
Para as professoras selecionadas para a banca corretora Ana Brito e Esther Braga, a escolha do título não foi fácil. “Foi feita uma pesquisa sobre o que tinha no Brasil. Não foi tão simples até para buscar em toda essa violência algo que nos toque. E mesmo dentro de tudo isso, a gente consegue ver algo de belo”, disse Ana Brito.
A impressão e a satisfação de Esther Braga é que “a gente vive no mundo tão complicado e com pessoas que não se sensibilizam. Quando a gente se depara com um adolescente, estudante, que pega um livro e se emociona com ele, é muito interessante ver que ainda tem pessoas sensíveis”.
Sobre a correção das redações, as professoras explicaram que se o julgamento se baseia nos critérios do ENEM. “Nos baseamos de como o aluno entendeu a proposta, se ele consegue articular os argumentos, coesão e coerência”, disse Ana Brito. Depois de feitas as avaliações, discutem a colocação de cada candidato e colocam em um envelope lacrado os resultados, que só será aberto na final da gincana, no dia 2 de junho.
Para a professora Esther Braga “Dentre os que vieram, percebemos que eles dominam, que gostam de ler e escrever”.
Como forma de estimular ainda mais a produção literária paraense, a Feira Pan-Amazônica do Livro realiza há 13 anos a Gincana Literária, um encontro tre estudantes e a obra de escritores locais, momento em que os alunos leem e interpretam os livros que recebem para a gincana, três meses antes. Este ano foram estudados pelas escolas que participam da gincana os autores Bruno de Menezes, Maria Lúcia Medeiros, Lindanor Celina e Stella Pêssoa. Essa é uma ação que visa formar leitores mais críticos e atentos à literatura paraense.
Esse é o primeiro dos cinco encontros para fase final da gincana, que se realiza na próxima sexta-feira, com a divulgação dos resultados e premiações, no Auditório Benedito Nunes.

Fonte: Feira Pan-Amazônica do Livro

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA