Feira do Livro: O UNIVERSO CIRCENSE COM A PALHAÇA CLOWN NO ESPAÇO INFANTIL



Uma viagem lítero musical com direito a brincadeiras, música, contação de histórias e performances teatrais. É assim que a palhaça Mademoiselle Clown, a atriz Cecília Barriga, chega à XXI Feira Pan Amazônica do Livro com o espetáculo “A viagem da palhaça Mademoiselle Clown com a Mala sem Fundo da artista Heliana Barriga”.

    O encontro foi no Espaço Infantil da Feira e contou com a participação especial da escritora Heliana Barriga e da percussionista Vilma Monteiro. Na plateia, crianças jovens e adultos se deliciaram com o trabalho encantador e envolvente da atriz, que resgata as brincadeiras de criança, enfatizando o lúdico por meio da palhaçaria

    O show apresentou músicas de Heliana Barriga já conhecidas pelo público infantil: “Letícia Coça Coça”, “A Filha do Jabuti”, “Se eu fosse você eu brincava, entre outras. “São músicas amadas pelas crianças, intercaladas por performances da palhaça Mademoiselle Clown, resgatando as histórias de circo em suas contações”, explica Heliana.

    O personagem do palhaço, segundo Cecília é incentivador do lúdico popular, representando a resistência cultural mantida e motivada pelas antigas brincadeiras infantis. Na plateia, a estudante Isabele Beatriz, de 16 anos, ficou encantada com o espetáculo inspirado no circo. “Me interessei pela programação a partir do nome do espetáculo. O personagem da palhaça Mademoiselle me trouxe aqui e me senti criança outra vez”, brinca a adolescente.

    E foi a partir desse resgate das brincadeiras infantis que surgiu durante o espetáculo a literatura, a música, os instrumentos musicais, o teatro e outras interações que educam divertindo. “Eu gostei da história da jia na pia, contada pela palhaça e também da sanfona que aquela senhora estava tocando”, disse a estudante Ketllen dos Santos Sobrinho, de 8 anos, se referindo a escritora Heliana Barriga e seu tradicional acordeom.

    O espetáculo “A viagem da palhaça Mademoiselle Cown com a Mala sem Fundo da artista Heliana Barriga”retorna nesta sexta-feira, 2 de junho, às 16 horas, no Espaço Infantil.




    Mala Sem Fundo – Uma mala de fundo infinito, de onde saem poesias, música, espetáculos, contação de histórias. É a partir do Mala sem Fundo que a escritora Heliana Barriga se inspira para criar. Foi dela que saiu o primeiro espetáculo ecológico infanto-juvenil que deu o nome ao projeto, apresentado no Teatro da Paz, em 1987. A apresentação, com texto de Heliana Barriga, direção de Nide Braga, direção musical de Marlise Borges e direção teatral de Edgar Castro, reuniu no palco mais de 100 artistas, contando a história de uma menina que viajava por diversos lugares, vivendo situações inusitadas em busca de uma estrela.


    A mala inspiradora realmente existiu. Heliana conta que mandou confeccioná-la em madeira para levar ao hospital, quando foi dar a luz a sua filha Cecília. O acessório se tornou então o depósito de brinquedos da menina. Aos 5 anos, Cecilia devolve a mala para mãe e começa aí a trajetória da Mala sem Fundo. Heliana passou a levar seus livros, CDs, brinquedos pelo Brasil afora, em suas apresentações. “É uma mala poética, uma mala que carrega sonhos, inspira e ensina por onde passa”, define a escritora.

Texto: Danielle Ferreira
 Foto: Eunice Pinto
Serviço: XXI Feira Pan-Amazônica do Livro
Período: 26 de maio a 4 de junho de 2017
Local: Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia
Horário: 10 às 22h
Entrada franca

Programação completa em www.feiradolivro.pa.gov.br

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA