Uma paixão muito distante




Recorremos aos nossos arquivos e encontramos um registro histórico que marcou os tempos áureos da cultura teatral local: A peça “Paixão de Cristo”, que era encenada pelo grupo ELCAP-Elo Cultural de Capanema, considerado o maior espetáculo de teatro de arena da região nordeste do estado, apontado pela crítica como um dos melhores também. Por forças até então desconhecidas, a Paixão de Cristo saiu de cena, deixando um vazio que nunca mais foi ocupado, além também de escassear a arte, pois a peça era originalmente produzida pela mão de obra local, revelando artistas, muitos deles anônimos.
Ao serem somados os anos, o saudosismo aparece como principal instrumento, pois afastou-se do convívio popular, uma cultura nata que teve apontamentos nos principais setores, entre os quais as secretarias específicas (Estado e Município), bem como teve repercussão em manchetes de jornais, entre eles o Jornal de Capanema, passando por outros meios de comunicação que destacavam o evento. 
Como estamos nos aproximando da Semana Santa, época propícia para as reflexões sobre a vida de Jesus Cristo, reproduzimos nesta matéria, fotos que relembram o sucesso que fazia a peça Paixão de Cristo, assinada pelo ELCAP e compartilhada pela comunidade. 


Relembra-se ainda com saudosismo a mobilização da cidade com o comércio patrocinando o que seria uma evolução teatral feita pelos artistas que não mediam esforços para estarem cada um participando das cenas, da construção do cenário, todos orgulhosos por tanta dedicação. Como os tempos passados estão apenas epigrafados nas manchetes dos jornais engavetados não se sabe por onde, recomenda-se que haja um estudo projetado para a reintegração do teatro, começando-se pela Paixão de Cristo que seria definitivamente ressuscitada.







Edição: Dyah Sousa
Texto: Paulo Vasconcellos
Fotos: Reprodução Facebook/ELCAP

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA