Mulher raspou a cabeça pelo motivo mais importante

Virginia Mellen e seu filho (Reprodução/Virginia Mellen/Facebook)

Dos penteados que desafiam o padrão de gênero às axilas não depiladas, pelos corporais podem ser uma forte indicação de que cada estilo torna única a pessoa que o ostenta. Para Virginia Mellen, raspar a cabeça era uma simples preferência estética e uma lição ao seu filho sobre os padrões de gênero.
Mellon escreveu no grupo do Facebook chamado Pantsuit Nation que ela raspava a cabeça de vez em quando desde o ensino médio e queria começar de novo, mas se sentia constrangida, especialmente agora que era mãe de um garoto de pouco mais de um ano de idade. “Será que isso ainda é certo agora que sou mãe”, ela pensava. “O que as pessoas vão pensar agora que já sou mais velha?”.
Mas então, ela percebeu que tomar decisões independentemente das normas sociais seria um bom exemplo para a criança. Ela se lembrou de ter pensado: “quero que meu filho cresça ao lado de uma mãe que não tome decisões sobre sua aparência baseando-se no que os outros pensam. Quero que ele saiba que não há um modelo de aparência em particular no qual uma mãe ou mulher deveria se enquadrar. Então, raspei minha cabeça ontem. E sabe da maior? Acho que ele nem notou.” Mais de 45,000 pessoas reagiram à postagem e muitas deixaram mensagens de apoio.
A mulher de 27 anos, que mora no Maine, disse ao Yahoo Beauty que o look a ajuda a se sentir livre das normas sociais. “Todos os dias, há inúmeros motivos para as pessoas questionarem a si mesmas e se acharem insuficientes por algum motivo. A escolha de um penteado pode parecer trivial, mas raspar a cabeça faz com que eu me sinta poderosa, pois é um lembrete diário de que tomei uma decisão com base na minha própria autoimagem e não pensando nas expectativas da nossa sociedade. Este é o “eu” que eu quero que meu filho conheça”.
Ela acrescentou que, há 10 anos, raspar a cabeça tinha um significado diferente para ela, mas igualmente importante. “Eu era, e em muitos aspectos ainda sou, uma pessoa insegura e autoconsciente, mas acho que raspar a cabeça me tornou mais confiante. Eu não conseguia mais “me esconder” atrás do meu cabelo, então, em vez disso, decidi ser eu mesma”. Independente de qual estilo o filho dela adote para seus cabelos, esperamos que ele pense da mesma maneira.
Fonte: Yahoo/Suzannah Weiss

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA