Crônica da Atualidade - Por Paulo Vasconcellos




Ferramentas e engrenagens que fazem funcionar uma Oficina

            Quando se tem oportunidade para que seja praticada a troca de experiências, unem-se ideias com possibilidades de um agrupamento capaz de nortear quem esteja carecendo de melhorar sua qualificação seja qual ramo for.
            Considerando que trabalhar em forma de laboratório que sustente tantos e quantos parâmetros, fica estabelecido a junção de vontades plausíveis as oportunidades, principalmente quando há interesses multiplicativos, sobrando como alternativa a boa intenção de entes que se esmeram para galgar lugares.
            O setor comunicação social que é expansivo, está condicionando a interessados, treinamento técnico em oficinas de Rádio e Assessoria de Imprensa em Capanema, eventos propiciados pela parceira firmada entre o Governo do Estado e o Governo Municipal, tendo começado dia 20 com o encerramento nesta sexta-feira, 25.
Profissionais do rádio incluindo locutores, DJ’s, programadores e até quem não é do ramo, estão participando do workshop, ministrado pela jornalista Daniele Ferreira que integra a SECOM/PA, trabalhando o tema que consiste na formação de uma emissora, passando pelos caminhos que levam até a programação e a criação de um programa voltado para os interesses sociais, composto de variedades. As emissoras que estão incluídas na oficina são fictícias, recebendo títulos sui-generis: ‘Rádio Biizu e Rádio Fuzaca’, contendo em seus roteiros, todos os itens burocráticos para o funcionamento e grade de programação.
Considerando ainda que o serviço de radiodifusão é essencial para a informação, ressalta-se que o sonho de alguém se tornar profissional do rádio passa a ser cobiça, pois ela se atrela a vocação de atores que se capacitam nesse tipo de oportunidade, as oficinas e cursos.
Eis que Capanema está sendo beneficiada pelas esferas governamentais e as aulas teóricas juntadas as práticas, estão surtindo efeito positivo, pois os que ainda não haviam participado de evento similar, confessam que ao assimilarem o conteúdo, podem-se arvorar para exercer qualquer função em uma emissora de rádio ou outro meio da comunicação.
Por fim, o aprendizado tem sido bastante comentado e como a velocidade do rádio requer imediatismo, somar tudo o que está sendo facilitado e praticar, torna-se ferramenta fundamental para o desenvolvimento de cada profissional que se dispôs a  entrar nas minúcias de como se produz um programa de rádio ate que ele chegue ao ouvinte, pessoa qualificada para avaliar e opinar positiva ou negativamente. (PV)

Em tempo - Texto dedicado aos participantes das oficinas de Rádio e Assessoria de Imprensa, facilitadas pelas Secretarias de Comunicação do Estado e do Município.

Paulo Vasconcellos: Radialista, apresentador de programas jornalísticos na Rádio Antena C – Capanema.

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA