Cidade Velha une poesia e desafios



Bairro se equilibra entre um passado romântico e uma árdua realidade

Pãozinho fresco e quentinho, carnes e peixes entregues religiosamente todos os dias na frente da casa. Não se trata de nenhuma nova delivery de Belém. As entregas são feitas em diversos quarteirões da Cidade Velha por padeiros, peixeiros e enviados de açougues. Uma tradição que até hoje se repete para dezenas de moradores, como Ana Lúcia Brahuna, nascida e criada há 59 anos no bairro que deu origem a Belém. Mas, nem só de pão e poesia vive a Cidade Velha. O bairro também enfrenta trânsito caótico, problemas com lixo, violência e recentes comunidades formadas por pessoas em situação de rua.

Fonte: Site de O Liberal Online (Texto e foto)

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA