O Brasil está no Arte Pará


Artistas de todo o país vão expor na 35ª edição do salão. A abertura oficial será hoje, na Casa das Onze Janelas.
De outubro até dezembro os paraenses vão poder conhecer o trabalho de artistas de todo o Brasil, durante a temporada 2016 do Arte Pará. A abertura oficial do salão será hoje, a partir das 19h30, na Casa das Onze Janelas. A exposição vai até o dia 6 de dezembro, no Espaço Cultural da Casa das Onze Janelas, no Museu da Universidade Federal do Pará (UFPA) e no Museu Paraense Emílio Goeldi. Os espaços vão estar abertos para visitação do público e de estudantes durante os dois meses seguintes, em um verdadeiro convite à reflexão e conhecimento da arte contemporânea. As obras do salão vão apresentar diversidade de linguagens artísticas, como pintura, desenho, escultura, vídeo, instalação, fotografia e gravura. Toda terça-feira a entrada é gratuita e grupos agendados não pagam em qualquer dia da semana. 
Nesta 35ª edição, o salão apresenta 18 artistas selecionados de todo o país, sete paraenses convidados, entre eles Berna Reale, Gratuliano Bibas e Orlando Maneschy, além de cinco homenageados, como Armando Queiroz, Emanuel Franco e Marinaldo Santos. Com mais de três décadas de história, o Arte Pará tem acompanhado a trajetória da arte contemporânea brasileira e reúne artistas de vários lugares. O curador geral Paulo Herkenhoff adianta que o salão promete ser limpo, bem constituído e de muita qualidade. Será bem amarrado em seus pontos que se atravessam, como, por exemplo, arte política, humanidades e a história do Pará. 
A curadora adjunta e coordenadora Vânia Leal explica que, após a abertura do salão, já se iniciam novas jornadas do Arte Pará: a produção do catálogo, as ações educativas nas exposições e começa a se configurar o planejamento da edição seguinte. Vânia explica que o Arte Pará traz proposições contemporâneas, que quebra o gosto formalista acerca da arte e reforça que o salão vem com a missão de promover a educação do olhar. “Temos parceria com o Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém (SetransBel) e este é o único projeto do Brasil que garante ônibus (pela manhã e pela tarde) para as escolas durante todo o período. Isto é relevante. O que se espera do salão é sempre o inesperado, como intervenção urbana, uma provocação e uma convocação direta para o público”, avalia. 
A abertura do salão é o resultado de todo um trabalho sincronizado e programado da equipe, que os paraenses e os turistas que vão estar em Belém em outubro poderão apreciar durante dois meses. “Espero que mesmo com todas as dificuldades que tivemos este ano a gente consiga surpreender o público nesta 35ª edição. Desejo que cada vez mais o projeto se torne não só de arte, mas principalmente de educação”, destaca a curadora adjunta, diretora da Fundação Romulo Maiorana e coordenadora do Arte Pará, Roberta Maiorana.


Site de O Liberal Online (Texto e Foto)

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA