Espetáculo sobre o tempo




Elenco da cantata “Los Pájaros Perdidos” faz últimos ajustes na montagem, que marca programação do Festival de Ópera do Theatro da Paz

Pelas coxias do Theatro da Paz, nas últimas semanas, o sotaque que se ouve tem uma mistura de português e espanhol, o famoso “portunhol”, e também se escuta muito tango, da melhor safra desse ritmo argentino. São os ensaios, já em ritmo acelerado, da cantata “Los Pájaros Perdidos – O Tempo no Tango”, cartaz do XV Festival de Ópera do Theatro da Paz, que tem récitas nos dias 26, 27 e 28 deste mês, às 20h, no Theatro da Paz.
O espetáculo traz o melhor do tango e é baseado na obra musical dos argentinos Astor Piazzolla (1921-1992) e Carlos Gardel (1890-1935). No palco, a cantora mexicana Eugenia León – pela primeira se apresentando em Belém – e o tenor carioca Fernando Portari, que está no Festival pela terceira vez seguida. Além deles, o acompanhamento é do bandoneonista argentino Martín Mirol e da Orquestra Jovem Vale Música, conduzidos pelo maestro Miguel Campos Neto. Na direção cênica e iluminação, o premiado diretor paulista Caetano Vilela.
Em cena também, o coreógrafo e bailarino argentino Luis Arrieta – que está em cena em quase toda a duração da cantata -, 14 bailarinos paraenses e os dançarinos de tango convidados, Irupé Sarmiento, Júlio César, Margareth Kardosh e Vítor Costa, além da paraense Isanira Coutinho, representante da dança de salão local.

Fonte: Site das ORM/O Liberal (Texto e Foto)
Edição: Dinho Aguiar

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA