A Amazônia em Paris

Celso Lobo e Eliseu Pereira expõem no Museu do Louvre e participam do álbum “Os Brasileiros Vistos pelos Brasileiros”


Se já não é fácil um fotógrafo paraense sair de Belém para expor sua arte em Paris, no mais famoso museu do mundo, o Louvre, mais difícil ainda é fazer a mesma coisa saindo de Muaná, no interior do Pará. Mas os fotógrafos paraenses Celso Lobo, que mora na capital, e Eliseu Pereira, que nasceu e vive na Ilha do Marajó, vão realizar a façanha. A história de como eles conseguiram isso é um estímulo e um exemplo, para os outros artistas da terra, de como também a fé no próprio talento pode vencer obstáculos.
Tudo começou quando Celso Lobo foi condecorado embaixador das artes na Região Norte pela “Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture” (Divina Academia Francesa de Cultura Artes e Letras), em abril deste ano, em cerimônia realizada no Rio de janeiro, no Hotel Copacabana Palace. Desde então, ele ficou com a missão de divulgar as atividades da Academia e fazer indicações para as publicações e exposições patrocinadas por ela, que promovem o Brasil e a França no mundo através das artes, das letras e da cultura em geral.
E Celso começou a cumprir o seu papel imediatamente. Conhecedor do trabalho de Eliseu e seu admirador, indicou o fotógrafo marajoara para ser incluído entre os 50 fotógrafos brasileiros selecionados pela “Divina Academia” para mostrar suas obras no Museu do Louvre, durante a Semana Cultural da Academia, que será realizada de 19 a 26 de outubro, ocasião em que será lançado o álbum de fotos da jornalista Diva Pavesi, com o mesmo título da mostra, “Les Brésiliens vus par les Brésiliens” (Os Brasileiros vistos pelos Brasileiros). 

Edição: Roberto Lisboa
Fonte: O Liberal

Comentários

MENSAGEM DA SEMANA